Týkhe­ Associação de Psicanálise 

“Estão convidados todos aqueles que possam contribuir para por à prova a conformidade desta formação” (Lacan-1964)

Foi nomeada em referência à Týkhe (pronuncia-se tiquê), deusa da Fortuna, dos bons e maus encontros, que ela distribui arbitrariamente.

É o acaso, a contingência. A ideia que norteia a fundação dessa nova instituição é de que seja um lugar de encontro para aqueles que são movidos por desejo na sua relação com a psicanálise, e que isso possa se inscrever através de um trabalho de pesquisa, ensino e transmissão.

 

Jacques Lacan fez referência a esse termo no Seminário, livro 11, os quatro conceitos fundamentais da psicanálise, ao afirmar que a psicanálise não é um idealismo, mas que ´´nenhuma práxis, mais que a análise, é orientada para aquilo que no coração da experiência, é o núcleo do real.

Esse real, onde o encontramos? É com efeito de um encontro, de um encontro essencial, que se trata no que a psicanálise descobriu - de um encontro marcado, ao qual somos sempre chamados, com um real que escapole. A Týkhe, nós a traduzimos por encontro do real.

O real está para além do autômaton, do retorno, da volta, da insistência dos signos aos quais nos vemos comandados pelo princípio do prazer. O real é o que vige sempre por trás do autômaton, e do qual é evidente, em toda a pesquisa de Freud, que é do que ele cuida."

 

Týkhe - ­Associação de Psicanálise