Týkhe­ Associação de Psicanálise 

22/01/2019

Please reload

Posts Recentes

Seminário 2017: O olhar do analista na clínica psicanalítica com crianças

03/01/2017

 

Coordenação:

Rita de Cássia Segantini Bonança

 

Fundamentos para uma travessia, uma travessura um atravessamento.

 A criança não vem por si mesma ao analista, não nos procura para falar de sua problemática, é trazida quase sempre pelos pais. Ela se apresenta na condição de enigma e desse lugar convoca o analista a decifrar seu sofrimento, suas formulações e sintomas.

A proposta de leitura para encaminhar o Seminário de Psicanálise com Crianças em 2017 é o conto de Edgar Allan Poe – A Carta Roubada (1844) e, dois textos que se organizam a partir do conto: o artigo de Marie-Christine Laznik-Penot – Seria a Criança psicótica “Carta Roubada?”, publicado na revista da Associação Freudiana de Paris (1985), La psychanalyse de l’Enfant e traduzido por Eliana Araujo Nogueira do Vale; e o Seminário sobre “A carta roubada” (1966) de Lacan, que abre os Escritos.

A escolha dos textos abraça a proposta de Laznik em seu artigo, ou seja, a questão da dificuldade legítima que se impõe para os pais e os profissionais que cuidam e trabalham com crianças não só em seus consultórios, mas também em Instituições. Como vê-las, percebê-las e escutá-las como crianças reais, doentes e em sofrimento?

Cito: “Ora, encontramos algo de análogo na carta como suporte de uma mensagem, implicando um segredo, e supondo um destinatário”. “A carta é, em si mesma, portadora do signo de contradição e de escândalo”. (p.8)

A mensagem deve ser lida e o escândalo deve ser visto.  No seminário sobre A carta roubada (Escritos), Lacan propõe pensar a partir das cenas e personagens do conto de Poe, três olhares: um olhar que nada vê; um olhar que vê que o primeiro nada vê; e o terceiro – aquele que vê.

Convido os profissionais que apostam e se aventuram no trabalho com crianças para trabalharmos juntos a proposta de Laznik e Lacan a partir do conto “A carta roubada”, sem é claro, dispensar outros autores que possam auxiliar o nosso trabalho nessa travessia, que é sempre uma travessura onde somos enquanto analistas atravessados pelas questões da clínica com crianças.

Teremos 4 encontros no primeiro semestre e 4 no segundo semestre nas seguintes datas: 18.02; 04.03; 18.03 e 01.04 – 12.08; 26.08; 16/09; 30.09.

 

Local:

Sede da Týkhe-Associação de Psicanálise 

Aberto ao público.

Datas:

18.02; 04.03; 18.03 e 01.04 – 12.08; 26.08; 16/09; 30.09

Sábado às 10h

Valor:

R$ 480,00 por semestre

(à vista ou em 4 cheques pré-datados)

Please reload

Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo