1º Semestre de 2021 - (Per) curso com os sonhos e sua interpretação

A ideia de fazer um percurso com os sonhos e sua interpretação é, antes de mais nada, reafirmar o lugar fundador da Interpretação dos Sonhos na obra freudiana, destacando a potência de transmissão do discurso onírico. O sonho se situa em uma intersecção onde se nodulam o real da língua, o imaginário de um grupo ou sociedade e o simbólico da subjetividade em um determinado tempo.

Para além de sua função na clínica da psicanálise, como a “via régia para o inconsciente”, Freud nos destaca a função de transmissão do sonho ao nos oferecer uma brevíssima interpretação do sonho do filho morto que interpela o pai, dizendo:

-Pai, não vês que estou queimando? (A Interpretação dos sonhos) Freud recolhe este relato de sonho de alguém que também o teria escutado de segunda mão, de um outro que o teria escutado do sonhador. Esta cadeia de narradores que se forma sob o efeito de um relato de sonho se atualiza na constituição dos primeiros grupos de discípulos de Freud que se reuniam para “trocar” sonhos e interpretações.

Freud o oferece aos psicanalistas vindouros como uma aposta de transmissão e Lacan o retoma para tratar da função do pai em sua dimensão simbólica de falta-a-ser. Um pai é, justamente, aquele que adormece diante do real da morte, que queima do que não pode ver. (Seminário 2)

Neste primeiro ano do percurso (2020), trabalhamos, a partir do texto freudiano e de alguns outros.

Destacamos a função do sonho como testemunho e interpretação singular das experiências dos sonhadores de uma sociedade em um determinado tempo. Continuaremos a tratar da questão da narrativa do sonho e sua importância na dimensão da experiência singular e na constituição do laço social, para além das ressonâncias subjetivas naqueles que narram e naqueles que ouvem a narrativa de sonhos.

Os encontros são quinzenais, às quartas-feiras, 10h. Início: 24 de fevereiro de 2021. Coordenação: Daniel Mondoni Marta Togni Ferreira